Posts Tagged ‘josé henrique marques moreira’

Mais um escândalo no Parquet: Fátima Travassos exonera procurador em retaliação

Abril 15, 2011

No último dia 24 de março o Tribunal Popular do Judiciário noticiou que os procuradores de justiça José Henrique Marques Moreira e Raimundo Nonato de Carvalho Filho protocolaram, junto ao Conselho Nacional do Ministério Público, representação contra a Procuradora Geral de Justiça Maria de Fátima Rodrigues Travassos Cordeiro, a promotora Núbia Zeile e a corregedora-geral Selene Coelho de Lacerda, “ante irregularidades na prática de concessão de diárias”. Releia a matéria do TPJ e o citado documento.

Coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Patrimônio Público e Fiscal da Probidade Administrativa, José Henrique Marques Moreira foi exonerado do cargo na última terça-feira, 12 de abril. Para seu lugar, na mesma data, foi nomeada Mariléa Campos dos Santos Costa, promovida ao cargo de procuradora de justiça pela Procuradora Geral.

Não se tem notícia de qualquer ilícito ou desvio cometido por Moreira, considerado um “papa” quando o assunto é patrimônio público e probidade administrativa. A exoneração é tão-somente demonstração de poder de Fátima Travassos, que trata o Ministério Público como se fosse coisa sua em vez de instituição pública.

Veja aqui a portaria que exonera Moreira e a que nomeia Mariléa. Além das denúncias do documento impetrado no CNMP por Moreira e Carvalho Filho, devem ser investigadas também estas “travassuras”.

“O errado são os outros”

Março 24, 2011

Procuradores requerem ao CNMP investigação de irregularidades no Ministério Público do Maranhão

Os Procuradores de Justiça José Henrique Marques Moreira e Raimundo Nonato de Carvalho Filho enviaram ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) representação solicitando instauração de procedimento de controle administrativo, “ante irregularidades na prática de concessão de diárias no âmbito da Procuradoria Geral de Justiça do Maranhão, através de sua titular, Maria de Fátima Rodrigues Travassos Cordeiro”, texto do documento (grifo do original).

Entre as irregularidades citadas no documento estão a “concessão de diárias com desvio de finalidade” e “pagamento de diárias em valor unitário acima do legalmente estabelecido”. Leia aqui a íntegra do documento.

E aqui, tramitação de processo da Associação do Ministério Público do Estado do Maranhão (AMPEM), sobre o mesmo assunto, também protocolado no CNMP.